CRISTIANISMO E UNIVERSIDADE

Seja bem-vindo a "CRISTIANISMO E UNIVERSIDADE". Aqui procuraremos apresentar artigos acerca de assuntos acadêmicos relacionados aos mais diversos saberes, mantendo sempre a premissa de que a teologia é a rainha das ciências, pois trata dos fundamentos (pressupostos) de todo pensamento, bem como de seu encerramento ou coroamento final. Inspiramo-nos em John Wesley, leitor voraz de poesia e filosofia clássica, conhecedor e professor de várias línguas, escritor de livros de medicina, teólogo, filantropo, professor de Oxford e pregador fervoroso do avivamento espiritual que incendiou a Inglaterra no século XVIII.

A situação atual é avaliada dentro de seus vários aspectos modais (econômico, jurídico, político, linguístico, etc.), mas com a certeza de que esses momentos da realidade precisam encontrar um fator último e absoluto que lhes dê coerência. Esse fator último define a cosmovisão adotada. Caso não reconheçamos Deus nela, incorreremos no erro de absolutizar algum aspecto modal, que é relativo por definição.

A nossa cosmovisão não é baseada na dicotomia "forma e matéria" (pensamento greco-clássico), nem na dicotomia "natureza-graça" (catolicismo), nem na "natureza-liberdade" (humanismo), mas, sim, na tricotomia "criação-queda-redenção" (pensamento evangélico).

ESTE BLOG INICIOU EM 09 DE JANEIRO DE 2012





quinta-feira, 6 de fevereiro de 2020

FIDELIDADE DA PALAVRA DE DEUS


“Quando eu entrar no mundo invisível, não espero encontrar as coisas diferentes daquilo que a Palavra de Deus as apresenta para mim aqui. A voz que espero então ouvir será a mesma que ouço agora na Terra, e pretendo dizer: ISTO É DE FATO O QUE DEUS ME DISSE; E QUÃO GRATO ESTOU PORQUE NÃO ESPEREI VER PARA SÓ ENTÃO CRER” (Adolph Monod)

O Livro inigualável!


“O único estilo que me satisfaz é o das Escrituras. Nem o meu próprio estilo nem o estilo de nenhum outro homem podem me satisfazer. Eu preciso ler apenas três ou quatro versículos para me certificar de que foram inspirados por Deus, por causa do seu estilo inimitável. É o estilo do palácio real” (Oetinger)