CRISTIANISMO E UNIVERSIDADE

Seja bem-vindo a "CRISTIANISMO E UNIVERSIDADE". Aqui procuraremos apresentar artigos acerca de assuntos acadêmicos relacionados aos mais diversos saberes, mantendo sempre a premissa de que a teologia é a rainha das ciências, pois trata dos fundamentos (pressupostos) de todo pensamento, bem como de seu encerramento ou coroamento final. Inspiramo-nos em John Wesley, leitor voraz de poesia e filosofia clássica, conhecedor e professor de várias línguas, escritor de livros de medicina, teólogo, filantropo, professor de Oxford e pregador fervoroso do avivamento espiritual que incendiou a Inglaterra no século XVIII.

A situação atual é avaliada dentro de seus vários aspectos modais (econômico, jurídico, político, linguístico, etc.), mas com a certeza de que esses momentos da realidade precisam encontrar um fator último e absoluto que lhes dê coerência. Esse fator último define a cosmovisão adotada. Caso não reconheçamos Deus nela, incorreremos no erro de absolutizar algum aspecto modal, que é relativo por definição.

A nossa cosmovisão não é baseada na dicotomia "forma e matéria" (pensamento greco-clássico), nem na dicotomia "natureza-graça" (catolicismo), nem na "natureza-liberdade" (humanismo), mas, sim, na tricotomia "criação-queda-redenção" (pensamento evangélico).

ESTE BLOG INICIOU EM 09 DE JANEIRO DE 2012





segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

O QUE JOHN WESLEY FALOU SOBRE BEBIDA ALCOÓLICA



Algumas pessoas acham que não há nada de errado em alguém beber episodicamente, sob a alegação de que tal pessoa não está viciada nem ficou embriagada. Os metodistas calvinistas e arminianos do Grande Avivamento do Século XVIII na Inglaterra não pensavam assim. Em uma carta para William Dodd, John Wesley falou sobre o assunto:

            “Disse para meu próximo: ‘William, você é um filho do demônio, pois cometeu pecado, você bebeu ontem’. O homem disse: ‘Não, senhor, não vivo nem continuo em pecado’(o que o Sr. Dodd diz ser o verdadeiro sentido do texto), ‘não bebo continuamente, apenas uma vez ou outra, uma vez a cada quinzena ou mês. [...] Devo dizer a ele que está a caminho do céu ou do inferno? Acho que ele está em uma estrada direta para a destruição e que, se disser outra coisa para ele, seu sangue cairá sobre a minha cabeça”.


            “Não olhes para o vinho quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo e se escoa suavemente” (Provérbios 23: 31).

Dr. Glauco Barreira Magalhães Filho

Nenhum comentário:

Postar um comentário